Jean Paul Gaultier

Outono/Inverno 2010-11 – O desfile foi inteiro multinacional. Desde o convite, passando pela banda russa ao vivo com balalaika e banjo, até as roupas coloridas que compreendiam boinas de couro e turbantes dourados ou com bordados brilhantes. Os chapéus foram, certamente, proeminentes. Os chapéus de pele nepaleses foram centrais para as roupas de exterior, que incluíam meias-calças de um amarelo luminoso e de um verde vívido, além de estampas astecas em meias de lã na altura das coxas. Muitas das peças foram dramatizadas, de forma que as calças bege não eram de cintura-alta mas de peito-alto e as ombreiras estavam mais altas que as da década de 1980. A coleção, cultural, combinou países querendo alcançar a ideia de multinacionalismo: casacos de moletom pendurados em calças de seda chinesa bordada; plataformas de madeira asiáticas seguidas de Mary Jane’s; camisas de seda com colarinho mandarim sob casacos xadrez; colares de fecha aborígenes e braceletes indianos para o tornozelo; a lista é interminável. Esta lista interminável mostrou uma mistura inventiva de estampas, cores, tecidos e tudo o mais que foi jogado no mix.

Zoe Garton

Written by Zoe Garton

Zoe Garton was one of the first contributors to the Catwalk Yourself project. She has a fervour for fashion and graduated with a BA (Hons) in History at University College London. Zoe is responsible for our Ready-to-Wear and Haute Couture sections.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>