De 1980 a 1990

“Com 1,78 cm de altura e pernas longas como as de sua mãe, é como se uma jovem girafa encantadora tivesse entrado no cerco real.”

Vogue, Maio de 1981

1980s Fashion Chanel suit

Copyright © AFP / Jean-Pierre Couderc / Roger-Viollet – Chanel suit 1983

Os Anos Oitenta

Os anos 1980 viram muitas mudanças sociais e econômicas. O ano de 1989 viu a queda do Muro de Berlim e também o fim da Guerra Fria, devido à desintegração do Pacto de Varsóvia, o que levou a U.R.S.S. a abandonar a hostilidade política em relação ao mundo Ocidental. O colapso do comunismo no Leste Europeu levou à independência dos países e à ocidentalização massiva deste lado europeu. Países em desenvolvimento ao redor do mundo encararam crises econômicas e sociais, como a Etiópia, cuja escassez de recursos resultou na aceitação da ajuda de outros países. Isto resultou no famoso show Live Aid, organizado por Bob Geldof em 1985, para levantar fundos para a Etiópia.

A Inglaterra viu o casamento de Lady Diana e Príncipe Charles, em 1981. Assistido por 750 milhões de pessoas, Lady Di e sua cauda de 25 metros inauguraram a onda do vestido suspiro. Grande parte do primeiro mundo enfrentou a recessão no início dos anos 1980. Os E.U.A. e o Japão conseguiram sair logo da crise, no entanto, a taxa de desemprego era alta nos países afetados. A manufatura das roupas e acessórios começaram a mudar-se para outros países, onde o trabalho era mais barato e a tecnologia, contínua. Os computadores pessoais tornaram-se mais acessíveis e ocorreu a invenção da World Wide Web. Com a introdução da licença-maternidade, igualdade de salários e mais mulheres trabalhando, a vestimenta poderosa para mulheres tornou-se lugar-comum.

Arte e Cultura

1980s Fashion DynastyDurante os anos 1980, os programas de TV tornaram-se altamente populares. “Miami Vice”, “Dynasty” e “Dallas” eram assistidos por milhões de pessoas e os cortes de cabelo clássicos e as ombreiras enormes daquela época eram copiados e idolatrados. Estouros de bilheteria nos cinema começaram a acontecer com “E.T.”, “De Volta para o Futuro” e “Indiana Jones”, que se tornaram cult depois. A música tinha influência forte na moda. Com o aumento no número de cantores solo, em comparação com os grupos dos anos 1970, Prince foi introduzido como um novo estilo de música e moda. Michael Jackson deixou o Jackson 5 e criou um estilo icônico, ao mesmo tempo que Madonna se tornava um ícone fashion. Todos estes ficaram conhecidos por seus diferentes estilos, da mesma forma como eram conhecidos por sua música e começaram a influenciar as novas gerações em uma proporção global.

Formas e Silhuetas 

Com o aumento de mulheres trabalhando e uma Primeira Ministra britânica mulher, a vestimenta de poder veio à luz. Ternos começaram a ser vistos como roupa social e as ombreiras foram adicionadas, criando uma silhueta forte. Cores berrantes e neons eram vistos nos vestidos de tafetá, com laços grandes e as estampas ousadas eram aplicadas nas t-shirts e nos vestidos enormes. Camisetas de ombro caído, mangas 3/4, miniblusas, mangas dobradas, meias combinando e casacos amarrados na cintura eram tendências vistas no dia-a-dia das mulheres. Calças justas de couro, jeans lavados, Levis 501 e calças de veludo molhado também eram vistos como peças estilosas. Outra tendência para a mulher jovem era deixar o sutiã à mostra, fosse por debaixo de um top de tela ou de uma jaqueta jeans oversized, o look era encorajado por Madonna. Os anos 1980 também viram a coleção “The Witch” (A Bruxa), de Vivienne Westwood, sua última com MacLaren. Com formas, cortes e proporções estranhas, as roupas eram feitas sob a técnica do draping: não eram cortadas em uma mesa ou prancha, mas sim no próprio corpo, onde se puxava, juntava e, finalmente, cortava.

Fashion 1980s Pierre Cardin

Copyright © AFP / Roger-Viollet – Pierre Cardin / January 1982

As roupas de baixo de designer popularizaram-se nesta década, com rendas, camislas com sutiãs junto e uma variedade de tons pastéis. Mais que nunca, agora era importante vestir underwear estiloso; as celebridades e as propagandas influenciavam as pessoas: em “De Volta para o Futuro”, Michael J. Fox foi visto vestindo roupas íntimas lilás da Calvin Klein.

Entre os adolescentes, as chamadas “happy pants” tornaram-se uma tendência, especialmente para as meninas. Originárias da Austrália, onde estas calças eram tidas como básicas, o modelo era uma espécie de shorts elástico com comprimento acima do joelho, em algodão com estampas ousadas e coloridas. Em 1986, a Dolly Magazine lançou um tecido de happy pant para as meninas costurarem em casa.

Neo-Romantismo e Punk Pós-1970

Punks Fashion 1980s

Copyright © AFP / Roger-Viollet – Punks 1985

O Neo-Romantismo fez parte da cena dos clubes de Londres no começo da década de 1980. Proveniente da cena Punk, as pessoas estavam menos interessadas na filosofia Punk e mais na moda. Buscavam novas ideias para chamarem atenção para si mesmos. O visual neo-romântico era rebuscado, com a influência de períodos históricos nos looks dramáticos, com babados e tecidos luxuosos. O look pirata foi propangadeado por Vivienne Westeood. Para os neo-românticos, o esforço para estar bonito, luxuoso e atraente era bastante narcisista e consciente.

Os anos 1980 trouxeram o visual gótico pós-punk bastante popular na Europa e nos Estados Unidos com a “LA Scene”da década anterior. O estilo era composto de roupas pretas feitas de materiais incomuns, como o couro, o material da rede de pesca e renda. As mulheres usavam espartilhos e ambos os sexos enfatizavam Doc Martens. Cabelos compridos e pretos, penteados para trás, pele pálida e maquiagem pesada eram utilizados. O estilo punk era era visto em bandas como Guns N’ Roses, que vestiam suas jaquetas jeans com alfinetes, patches, botões e remendos estranhos.

Paninaro

O termo Paninaro era usado para descrever a subcultura em Milão em meados dos anos 1980. Os Paninaros eram um grupo de italianos que frequentavam fast-food e sanduicherias. Com gírias bastante italianos, duas revistas os entitularam “Il Paninaro” e “El Cucador”; os Paninaros tinham sua própria cultura. Interessados em moda, eram vistos usado camisas e jeans dobrados no tornozelo de designers como Versace, Armani e Levis 501 combinadas com jaquetas bomber e botas timberland. Os Ray-Bans também eram bastante populares para incrementar o estilo. Em 1986, os Pet Shop Boys celebraram a cultura Paninari com sua música cult “Paninaro”.

Exercise Clothing

Com a ênfase no estilo de vida saudável, mas pessoas passaram a se exercitar e os vídeos fitness foram criados. Jane Fonda tinha seus próprios vídeos promovendo roupas casuais e de ginástica. Leotards, leggings e polainas tornaram-se muito populares e eram usadas com faixas elásticas na cabeça. As leotards vinham em cores gritantes, listradas e bolinhas. Filmes ajudaram a popularizar a tendências. como Fame e Flashdance, que mostravam camisetas enormes caindo sobre os ombros e enormes macacões.

Fashion S1980s Madonna

Copyright © AFP / Orion / The Kobal Collection / Schwartz, Andrew

Acessórios

As joias tornaram-se muito popular com o pensamento “quanto maior, melhor!”. Brincos enormes de ouro e pérolas eram usados com diamantes no dia-a-dia. O salto alto e as sapatilhas eram usados e a Princesa Diana lançou a tendência dos sapatos de salto mais baixo. No final da década, sapatos dourados e metálicos no geral eram usados durante o verão. Doc Martens ainda eram bastante populares, tendo sido trazidos dos anos 1970, porém as garotas começaram a combiná-los com seus vestidos florais, criando um visual ousado.

As clutches eram bastante populares e disponíveis em uma variedade de cores, frequentemente combinando com os sapatos. A icónica Chanel quilted tornou-se largamente desejada, e foi copiada e consumida aos milhões. Relógios Swatch, tops, pulseiras bate-e-volta, pulseiras da amizade e brincos de argola eram acessórios do dia-a-dia nos anos 1980. Os cabelos coloridos tornaram-se uma tendência, assim como o arco-íris. Cabelos armados, enrolados e com frizz eram usados com franjas, em loiro platinado, com rabos-de-cavalo de lado de todas as maneiras possíveis. Maquiagens vivas, com lábios rosa claro, glitter, sombras azuis e pintas complementavam os cabelos.

Moda Masculina

Os homens eram frequentemente vistos vestindo paletós com camisetas casuais, inspirados pelo look de Tubbs e Crocket, do programa de TV Miami Vice. Jeans lavados com ácido e jaquetas de couro eram usadas com Ray-Bans e gravatas slim. Alguns até copiavam o estilo de MC Hammer, com as calças pára-quedas. Outros, davam um ar elegante copiado do visual mauricinho, percebido pelas calças cáqui, as camisas pólo com gola dobrada, um casaco amarrado sobre os ombros e sapato mocassim.

Os ícones

Desperately Seeking Susan (1985)  Pers: Madonna

Copyright © AFP / Orion / The Kobal Collection

Madonna

Depois do lançamento de Like a Virgin, em 1984, Madonna foi chamada de “Material Girl”, o que levou as jovens da época a elevá-la como guru de moda. Madge era famosa por suas cordas com contas, faixas de cabeça, faixas de renda, shorts justos de Lycra, mini-saias de couro, jaquetas curtas, luvas de renda e crucifixos no meio das joias. Seu visual confirmava sua sexualidade e rejeitava o estilo andrógino anteriormente visto.

Lady Diana

Durante os anos 1980, Diana tornou-se mais segura de seu estilo, tendo começado a vestir estilistas internacionais, como Versace, Christian Lacroix e Chanel. Ela incorporou alguns dos ícones do estilo oitentista, como o cabelo longo, as ombreiras e as roupas brilhantes. Ela vestia jaquetas de ombro pontudo e seus vestidos de baile estilo merengue despontaram como mais uma tendência.

Michael Jackson

Michael Jackson possuía um estilo único e sua música mostrava isso. Seu famoso álbum – e música – “Thriller” mostrou um estilo próprio que os adolescentes amavam copiar, combinando calças de couro e jaquetas, uma luva apenas e óculos de sol. A jaqueta de couro de Michael Jackson foi popularizada pelo filme “The Lost Boys”.

Os Estilistas

Calvin Klein

Do lançamento de sua linha de jeans nos anos 1970 até o começo dos anos 1980, Calvin Klein liderava a indústria, oferecendo jeans de designer mais acessíveis no mercado. Durante esta década, seu nome passou a aparecer em roupas íntimas, que tornaram-se populares devido ao uso de modelos quase nus em poses exóticas em propagandas e outdoors.

Ralph Lauren

Ralph Lauren foi importante por desenhar o power suit nos anos 1980. Seu visual era bastante popular entre os mauricinhos, com suas camisas pólo sendo essenciais. Seu estilo casual, porém aristocrático, criou um visual clássico, popular entre uma larga escala de classes sociais e faixas etárias.

Vivienne Westwood

Vivienne Westwood já havia feito roupas para os punks da década de 1970, e por isso era uma das principais influências no estilo neo-romântico. Com seu primeiro desfile, entitulado “Pirate” e, 1981, era começou a moda dos neo-românticos rebuscados.

Jean Paul Gaultier

Depois de enviar seus desenhos para Pierre Cardin, Jean Paul Gaultier foi contratado pelo estilista como assistente de estilo. Depois de trabalhar com Jacques Esterel e Jean Pator em 1971, ele resolveu desenhar sua própria coleção, que foi lançada em 1976. Conhecido por misturar tópicos culturais com a elegância francesa, Gaultier também mesclava os gêneros, criando a saia masculina em 1985. Suas coleções exibidas nos anos 1980 foram High Tech (1980), Dadism (1983), Barbes (1985), A Wardrobe for Two (1985), Untitled Collection (1987), The Concierge in the Staircase (1988) e mostravam o estilo andrógino, misturas inter-raciais, choque cultural, espartilhos e joias tin can.

Thierry Mugler

Mais que ninguém, Thierry Mugler compreende a frase “o sexo vende”. Anteriormente dançarino de ballet, Mugler decidiu voltar-se ao mundo da moda em vez de ir para o Lago do Cisne. Conhecido pelo glamur, pela sexualidade e pelas roupas inspiradas no fetiche, Mugler destacou-se nos anos 1980 por seu exagero.

Fendi

Fundado por Adele Casagrandem 1918, Fendi é uma das dinastias da moda italiana. Começou como uma loja de artigos de couro, o nome veio por conta do casamento de Casagrande com Eduardo Fendi, em 1925. Em 1965, Fendi contratou Karl Lagerfeld como diretor criativo, e foi ele quem criou o icônico símbolo do F duplo. Os anos 1980 foram um período de grande sucesso para a Fendi, que lançou linhas de óculos de sol e jeans, sua primeira fragrância feminina e uma coleção de sportswear e acessórios voltadas para o público jovem. Seguindo o sucesso, a marca também lançou sua fragrância masculina.

Gianfranco Ferré

Originalmente treinado como arquiteto, Gianfranco Ferre sempre foi comparado com Frank Lloyd Wright. Tendo seu primeiro desfile em 1974 e sua primeira coleção em 1978, seguiu com sua linha masculina em 1982. Conhecido por camisas volumosas de organza, Ferre foi indicado como diretor artístico na Christian Dior em 1989. Ao saber que tinha apenas 9 semanas dentro da grife, sua coleção própria saiu no mesmo ano. Seu primeiro desfile para Christian Dior incluiu Grace Jones e a Princesa Micheal of Kent na primeira fila. O desfile foi descrito pela Vogue como “resultado da disciplina de Dior e do florescimento de Ferre”. Ao final do dia dos desfiles, foi agraciado com o Golden Thimble, mais alta honra da moda parisiense.

Copyrights © Courtesy of Gianfranco Ferré Foundation

Issey Miyake

Depois de trabalhar com Hubert de Givenchy, Guy Laroche e Geoffrey Beene, Issey Miyake retornou ao Japão em 1970, após algum tempo em Paris e Nova York. Com um novo estilo se desenvolvendo no Japão, com a mistura do Kimono com as roupas ocidentais, Miyake viu ali a oportunidade perfeita para mudar de direção. Seu primeiro desfile chocou o público com a modelo despindo-se de suas roupas Issey Miyake e o estilista quis que sua marca prevalecesse nos anos 1980. Lançou sua primeira coleção masculina em 1982, que contou com uma camisa na qual vinha trabalhando desde 1975. Em 1988, trabalhou com o fotógrafo Irvin Penn na produção de um livro de fotografias e, durante a década de 1980, exibiu modelos de silicone preto suspensas e escondidas na escuridão.

Gianne Versace

Versace trabalhou como estilistas freelance para Genny and Callaghan durante os anos 1970, o que o levou a criar sua primeira coleção solo para a Complice em 1975. Em 1978, Versace criou a marca Gianni Versace em Milão e sua primeira campanha de publicidade, com o fotógrafo Richard Avedon (que resultou em uma colaboração de longo prazo). Em 1982, ele produziu uma coleção de roupas metálicas, que ajudaram a dar uma identidade à marca e, durante a década, criou figurinos de palco elaborados para Elton John, ajudando a firmar sua reputação para sempre. Infelizmente, Gianni foi assassinado em 1997, deixando como sucessora sua irmã, Donatella.

Yohji Yamamoto

Depois de inaugurar sua própria companhia em 1971, Yohji Yamamoto viu o sucesso nos anos 1980, quando desfilou em Paris, em 1981. Conhecido pela maneira como usa roupas volumosas para envolver o corpo de maneira desestruturada, causou um furor na impressa e a Vogue chamou seu desenho de “Chique oblíquo”.

Outros estilistas influentes na década de 1980 foram Donna Karan, Armani, Moschino e John Galliano.

Saxony Dudbridge

Written by Saxony Dudbridge

Saxony Dudbridge was one of the first contributors to the Catwalk Yourself project, Saxony studies International Fashion Marketing and she is responsible for our great History and Designers Biographies sections.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>